Por que líderes devem se esforçar para promover a “inclusão ideal”?6 min de leitura

A inclusão ideal garantindo que todos se sintam incluídos da maneira adequada

A maioria dos líderes – desde aqueles em grandes organizações multinacionais até aqueles em empresas pequenas e ágeis – aprendeu que a diversidade e a inclusão são importantes.

pesquisa é esmagadora e virtualmente impossível de perder. Equipes diversificadas e hábitos inclusivos são o mais próximo que se consegue chegar da dupla desempenho de equipe e responsabilidade corporativa. Com isso, no entanto, surge a possibilidade de se concentrar tanto em um fator – a inclusão – que os líderes negligenciam outro elemento importante: o equilíbrio.

Equilíbrio, no que se refere à inclusão, é liderar de uma forma que apoie as necessidades do indivíduo, ao mesmo tempo em que se concentra nas necessidades da empresa.

No NeuroLeadership Institute®, chamamos esse equilíbrio de “inclusão ideal”, porque permite que os líderes e colegas de trabalho se concentrem em obter as perspectivas certas de forma rápida e deliberada, para o benefício do funcionário e da organização.

Inclusão – Cognitiva e Social

Figura 1 Ser acolhido e ter suas ideias valorizadas; ser envolvido, estar no lugar certo na hora certa

Existem dois tipos de inclusão: a cognitiva e a social.

Inclusão cognitiva é o ato de valorizar a entrada, ideias, perspectiva, ponto de vista ou contribuição de alguém. É querer ouvir o que alguém tem a dizer e acreditar que isso aumentará a qualidade da decisão. É o ato de representação física ou informação.

Inclusão social é sobre ter certeza de que alguém estava no e-mail certo, na reunião certa, ou de alguma forma ciente da decisão que está sendo tomada ou da ação que está sendo executada.

Quando qualquer uma dessas esferas de inclusão está insatisfeita – o que podemos chamar de “subinclusão” – um funcionário pode sentir que suas ideias não são bem-vindas ou que eles próprios não são bem-vindos. Todos nós já experimentamos como isso pode parecer ameaçador, e pesquisas até apontam como isso pode ter efeitos prejudiciais, como afetam negativamente o QI , o comportamento pró-social e até a saúde como um todo.

O contrário, no entanto, é a superinclusão. Isso se manifesta em muitas pessoas em e-mails ou reuniões, indivíduos com muitos projetos e responsabilidades e uma sensação geral de estar sendo sobrecarregados. Muito já foi escrito sobre o grau em que alguns colaboradores começaram a confundir ocupado com importante.

Esse desejo de se envolver em muitas coisas, mesmo que o ritmo dos negócios continue aumentando, pode ser contraproducente, pois as pessoas podem assumir mais tarefas, mas executar poucas com sucesso.

Nenhuma dessas condições é vantajosa para tirar o máximo proveito de uma equipe, por isso a solução, por mais simples que possa parecer, é chegar a uma inclusão ideal.

Por que a inclusão ideal é importante?

A inclusão ideal significa garantir que as pessoas se sintam incluídas da maneira adequada, no momento certo, sem comprometer a velocidade de execução. 

Quando os líderes não conseguem incluir dessa forma, eles correm o risco de criar ameaças sociais em outras pessoas, principalmente para seus sentidos de justiça e relacionamento.

Fonte: https://www.researchgate.net/

Considere a pesquisa clássica, projetada para induzir a exclusão, chamada Cyberball. Um participante, o jogador 1, está focado em uma tela e conectado a um fMRI (Ressonância Magnética Funcional: uma técnica não invasiva e segura para medir e traçar as atividades do cérebro), para que possamos ver o que está acontecendo. Eles são informados de que estão jogando com outros dois participantes, e o objetivo é lançar a bola digital usando um teclado.

No início, todos passam a bola uns para os outros e tudo parece bem. Mas logo depois, os outros dois participantes começam a passar a bola apenas um para o outro, excluindo o Jogador 1. O que o Jogador 1 não sabe é que não existem outros dois jogadores; na verdade, tudo não passa de um programa de computador projetado para parar de lançar a bola ao Jogador 1. O que o Jogador 1 sabe é que se sente excluído, frustrado e chateado.

Da mesma forma, já vimos o quanto o excesso de inclusão afeta a vida profissional diária das pessoas em outros artigos aqui na Rede Fellipelli: Os perigos reais da inclusão excessiva e Como excluir gentilmente colegas de reuniões, e-mails e projetos.

Mal sabíamos o quanto isso repercutiria em líderes e funcionários de todo o mundo. Certamente não esperávamos o volume de e-mails que recebemos de pessoas que disseram que tinham acabado de encaminhar uma cópia desse artigo para sua equipe ou que podiam respirar aliviados agora que sabiam que não eram os únicos a negociar com superinclusão.

Claramente, a inclusão ideal era um tópico em que os líderes pensavam muito, mesmo que eles não tivessem necessariamente uma linguagem para isso. Agora que os líderes e funcionários têm a linguagem, vamos ter essas conversas produtivas e transparentes sobre o que significa ser incluído de forma ideal – e começar a criar equipes mais eficientes e eficazes o mais rápido possível.

Se você deseja criar uma cultura de inclusão em sua organização, podemos pensar em uma solução customizada.

FELLIPELLI engloba as diversas áreas relacionadas ao aperfeiçoamento humano, aplicando os mais recentes avanços da neurociência em desenvolvimento pessoal e de equipesliderançainteligência emocional e muitas outras. Consulte-nos! https://www.fellipelli.com.br/

Fonte: https://neuroleadership.com/your-brain-at-work/optimal-inclusion-creates-better-teams

Traduzido e revisado por Fellipelli Consultoria Organizacional.

Tema: NLI®, Liderança.

Subtema: A inclusão ideal tornando as equipes melhores.

Objetivo: Desenvolvimento Organizacional, Desenvolvimento de Liderança, Coaching, Coaching nas Empresas.

Este conteúdo é de propriedade da Fellipelli Consultoria Organizacional. Sua reprodução; a criação e reprodução de obras derivadas – a transformação e a adequação da obra original a um novo contexto de uso; a distribuição de cópias ou gravações da obra, na íntegra ou derivada -, sendo sempre obrigatória a menção ao seu autor/criador original.

Reader Interactions

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fellipelli