Um Plano de Contingência para o Novo Zeitgeist – Parte 14 min de leitura

Como se preparar para o clima intelectual da nova era.

Por Adriana Fellipelli, para o Linkedin

“No passado, a censura funcionava bloqueando o fluxo de informação. No século XXI, ela o faz inundando as pessoas de informação irrelevante. Não sabemos mais a que prestar atenção e frequentemente passamos o tempo investigando e debatendo questões secundárias. Em tempos antigos ter poder significava ter acesso a dados. Atualmente ter poder significa saber o que ignorar.”

– Yuval Noah Harari

Nos últimos anos, a asfixia causada pelo excesso de informações fragmentadas vem imobilizando milhões de pessoas. Pior: é necessário também distinguir e filtrar dados reais e fontes confiáveis, criando um círculo vicioso infinito de busca por informação e pesquisa de sua veracidade.

Em uma era de grande competitividade como a contemporânea, o grau de adoecimento social é preocupante – muitos chegam a sofrer e sentem-se culpados por não conseguir acompanhar as novidades que jorram incessantemente e em ritmo alucinante.  

Mas será possível estar 100% atualizado sobre tudo? O cérebro humano tem capacidade cognitiva para processar, selecionar e armazenar tantos dados?  

Também conhecido como “infoxication” (infoxicação) ou “infobesity” (infobesidade), o volume exponencial de informação ao qual estamos expostos já era previsto pelo futurista norte-americano AlvinToffler na década de 1970. Em seu livro “O Choque do Futuro”, ele imagina um cenário de “information overload” (sobrecarga informacional), em que a mente humana não conseguiria mais lidar com o imenso volume de informações geradas (Toffler, 1998):

Figura 1 O excesso de informações impactam diretamente na qualidade de tomada de decisão.

“(…) quando a quantidade de entrada em um sistema excede sua capacidade de processamento, os tomadores de decisão têm capacidade de processamento cognitivo bastante limitada. Consequentemente, quando ocorre sobrecarga de informações, é provável que ocorra uma redução na qualidade da decisão.”

De acordo com uma pesquisa da universidade suíça de Berna, na Suíça, um ser humano consegue ler no máximo 350 páginas por dia. No entanto, a quantidade de dados aos quais somos expostos diariamente por meio de redes sociais, aplicativos, e-mails, jornais, televisão etc. é de aproximadamente 7.355 gigas, o mesmo que bilhões de livros (Universität Bern, 2012).  

Além da quantidade exagerada de dados e da sua confiabilidade, outros desafios para a sanidade mental no século XXI são:

  • Polarização, derivada de uma pressão crescente nos diversos círculos sociais para assumir posicionamentos – emocionais, profissionais, econômicos, políticos etc.– cada vez mais radicais;
  • “Síndrome do ocupado”, uma confusão frequente entre ocupação e produtividade;
  • Vício digital, quando curtidas e seguidores substituem as vivências reais;
  • Caos emocional, originado da inabilidade para lidar com um futuro incerto

Pontos de adaptabilidade: chaves para lidar com o caos

“O caos é uma ordem por decifrar.”

– José Saramago

As recentes reviravoltas do mundo aumentaram nossa convicção de que se abriu uma janela de oportunidade para realizar grandes transformações. Com elas, cresce também a sensação de que estamos vivenciando o fim de uma civilização e o começo de uma nova era, um Zeitgeist no qual deixaremos para trás hábitos tóxicos – para nós mesmos e para os outros – e nos dedicaremos a uma ampla reflexão sobre o estado de coisas e o futuro.

Figura 2 O início de uma nova era.

O termo alemão Zeitgeist significa “espírito do tempo” ou algo que, em um contexto sociocultural, representa o clima intelectual de uma determinada época histórica.

Parar, pensar, sentir e reinventar a si mesmo é um privilégio para poucos na contemporaneidade.

Para lidar melhor com a complexidade na sua vida, carreira e/ou empresa, a receita é clara: agilidade, inteligência emocional e técnicas fundamentadas nas últimas descobertas da neurociência para aprimorar os processos de interpretação da realidade e tomada de decisões.

A FELLIPELLI atua com excelência nas diversas áreas relacionadas ao aperfeiçoamento humano, tais como desenvolvimento pessoal e de equipes, liderança, inteligência emocional e muitas outras. Consulte-nos! https://www.fellipelli.com.br/

Referências bibliográficas

Tema: Inteligência Emocional, Neurociência.

Subtema: O clima intelectual da nova Era.

Objetivo: Autoconhecimento, Autodesenvolvimento, Desenvolvimento de Liderança, Coaching, Coaching nas Empresas.

Reader Interactions

Comentários

  1. Marcia Britto diz

    Muito interessante… mas li no Linkedin, um artigo que fala que diz que o mundo VUCA acabou e devemos entrar de vez no mundo BANI..
    a proposta é mudar, mudar e mudar…
    Não penso assim, justamente pelo que vc coloca no artigo acima… o excesso atinge a saúde mental dos indivíduos.
    O que acha deste movimento BANI? uma nova moda americana?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.