A relação entre cérebro e MBTI®4 min de leitura

A poderosa dupla Neurociência e Tipo Psicológico

A pesquisa recente de mapeamento cerebral do professor da UCLA Dario Nardi, usando a tecnologia do EEG (eletroencefalograma), forneceu as primeiras evidências empíricas que apoiam a teoria observacional de Jung.

Jung trouxe uma contribuição fundamental para o entendimento da tipologia humana, ao escrever um de seus mais importantes trabalhos, o livro “Tipos Psicológicos”, fruto de mais de 20 anos de observação e do exercício da Medicina Psiquiátrica e da Psicologia Prática.

 TIPO É UMA DISPOSIÇÃO GERAL QUE SE OBSERVA NOS INDIVÍDUOS, CARACTERIZANDO-OS QUANTO A INTERESSES, REFERÊNCIAS E HABILIDADES. POR DISPOSIÇÃO DEVE-SE ENTENDER O ESTADO DA PSIQUE PREPARADA PARA AGIR OU REAGIR NUMA DETERMINADA SITUAÇÃO.”. – Carl Jung

O pesquisador e professor Dario Nardi publicou recentemente o livro Neuroscience of Personality, em que ele pesquisa a relação do funcionamento cerebral e os Tipos Psicológicos.

Nardi conduziu uma pesquisa com 60 estudantes universitários de vários tipos psicológicos diferentes, colocando neles sensores de EEG para acompanhá-los na realização de diversas atividades. Ele lança uma luz sobre como cada Tipo se relaciona com as atividades no neocórtex (é a nossa área mais evoluída do córtex, é a parte do cérebro que comanda a razão e o discernimento controlando os instintos e as emoções).

Uma primeira coisa sobre o cérebro: ele é “organizado”. Em termos gerais, ele descreve o cérebro em muitos pequenos módulos. Cada módulo é um circuito neural que ajuda você a fazer uma tarefa. Algumas tarefas são concretas, como reconhecer rostos, ouvir tom de voz ou mover uma mão. Outras tarefas são abstratas, como avaliar a ética, ajustar-se ao feedback dos outros e ensaiar mentalmente uma ação futura. Existem facilmente cinco dúzias de módulos apenas no neocórtex. Além disso, existem qualidades amplas como empatia e imaginação – o material da psique. Estes são suportados por vários módulos que trabalham em conjunto, como instrumentos em uma sinfonia.

O que Dario Nardi revelou em sua pesquisa, depois de trabalhar em profundidade com quase 60 estudantes, tentando várias tarefas por duas ou três horas com cada um deles, foi que as pessoas que se identificam com o mesmo Tipo tendem a contar com regiões cerebrais semelhantes para pensar e executar suas tarefas.

Por exemplo, na tipologia do MBTI®, os INFPs favorecem as regiões de ouvir, falar, e da imaginação. Já os INTPs, favorecem as regiões que ajudam a várias formas de raciocínio, desde a dedução lógica até a categorização de perdas e ganhos em situações de risco.

Assim por diante, em todos os Tipos existem áreas mais favorecidas para cada um deles. O que o pesquisador afirma é que a atividade cerebral varia de acordo com o Tipo, e os padrões mais claros correspondem ao impulso original para a teoria de Tipos Psicológicos.

Claro, cada pessoa é única. Cada “cérebro” que entrou no laboratório tinha sua própria estória. Mesmo levando em conta o background de cada um, Nardi verificou que comparando os mapas cerebrais do mesmo Tipo Psicológico, 85% deles tinham mapas similares, ou seja, as necessidades psicológicas deles eram semelhantes. Como se todos percorressem o mesmo caminho.

Entre os adultos jovens, os níveis de atividade cerebral e circuitos geralmente correspondem. Eles usam o que aprenderam. Eles se concentram em quem eles são.

Já as pessoas após os 40 anos, o que Jung denominou de metanoia (nosso processo de mudança interna, de mudança de visão do mundo), mostram o contrário nas pesquisas.

Por exemplo, um INFJ de 40 anos de idade, pode favorecer regiões cerebrais que não sejam só da sua preferência, porque ele já tem a confiança nas suas forças e explora novos aspectos de sua consciência , muitas vezes representados através de seu oposto ISTP.

dupla poderosa mbti e neurociencia

Neurociência e Tipos Psicológicos, como hardware e software, fazem uma dupla poderosa.

A PRINCIPAL LIÇÃO: O CÉREBRO É COMO UMA CAIXA DE FERRAMENTAS E USAMOS AS FERRAMENTAS QUE NOS AJUDAM A SATISFAZER AS NOSSAS NECESSIDADES DE CADA TIPO PSICOLÓGICO. CONHECER AS REGIÕES CEREBRAIS FAVORITAS DE CADA TIPO AJUDA-NOS A LIDERAR, A ENSINAR MELHOR E A VIVER MELHOR.

 

Fontes:

 

Tema principal: MBTI®, Neurociência, NLI, a Neurociência da Personalidade

Subtemas: A observação da atividade cerebral de acordo com os tipos psicológicos

Objetivo: Ambiente organizacional, liderança, relacionamento, neuroliderança, qualidade de vida, psicologia


Veja também

Sua heroína literária baseada nos Tipos Psicológicos do MBTI®

Clique aqui

Reader Interactions

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.