Mentira no Ambiente Profissional4 min de leitura

por-que-mentimos

Quem nunca contou uma mentira em alguma situação? Mentiras consideradas inofensivas, para esconder informações que não queremos compartilhar, ou para ocultar algo sério.
Fato é que a mentira faz parte do cotidiano do ser humano. Tanto que nós temos um dia especial para isso: o dia da mentira!  Mas o que nos leva a mentir e o que a psicologia diz a respeito disso?
Segundo Murray Sidman, a mentira não é algo natural do ser humano e sim um comportamento aprendido. Portanto, se crescemos em um ambiente onde a mentira é natural, tendenciamos a mentir mais. Quando nos sentimos controlados, nos limitamos a esconder a verdade por medo de uma possível ameaça.

A mentira no ambiente profissional

Em uma pesquisa on-line feita pelo site Universia com 3902 pessoas (informação de março/2018), 95,23% dos respondentes afirmaram que foram vítimas de mentiras no trabalho.
No ambiente profissional, pequenas mentiras podem levar a grandes prejuízos para empresas. Por exemplo, quando o colaborador prefere mentir sobre a sua opinião e concordar sempre com o seu líder, por medo de represálias. A falta de visões diferentes pode limitar a percepção como um todo.
Outra situação muito perigosa pode acontecer quando um determinado funcionário tem conhecimentos técnicos que o líder não tem e mente sobre o andamento de um projeto ou sobre determinada atividade que desempenha na empresa. A mentira pode render prejuízos imensuráveis para a organização em vários campos, do financeiro à segurança da informação.
Em casos mais sérios, a mentira pode esbarrar no campo da ética. Foi o que aconteceu recentemente entre duas empresas de tecnologia, onde uma confiou na outra – que por sua vez mentiu e compartilhou informações confidenciais dos usuários da empresa parceira. Como resultados, enormes prejuízos financeiros e questionamentos sobre a credibilidade da marca.

O que fazer quando mentiras afetam o ambiente profissional?

Existem algumas atitudes que as lideranças podem tomar para inibir o comportamento mentiroso e estimular um ambiente propenso à verdade. Se entendemos que as pessoas mentem quando se sentem ameaçadas, criar um espaço que minimize essa sensação faz com que todos se sintam mais propensos a dizer o que pensam, sentem, etc.
Segundo estudos neurocientíficos, todo indivíduo possui cinco necessidades básicas que o colocam em uma zona de segurança, quando são atendidas, ou em posição de vulnerabilidade, quando não atendidas. É nesse momento que ele usa a mentira como um caminho para fugir do perigo. Criar um ambiente respeitando essas cinco necessidades individuais desestimula a mentira no trabalho. São elas:
–Status: todo ser humano tem a necessidade de entender e saber sua posição em um grupo social. As pessoas também precisam ser valorizadas e respeitadas. O modelo de feedback, implementado em grandes organizações, foi observado como uma arma contra essa necessidade, desvalorizando colaboradores e reduzindo a produtividade. Para solucionar esse problema, David Rock criou o modelo Connect, que visa qualificar essas conversas de feedback.

– Certeza: é fundamental que as pessoas trabalhem com seu status de certeza contemplado. Todos precisamos do mínimo de segurança para desempenhar nossos papéis e, quando estamos com o status de certeza afetado, tornamo-nos inseguros, indecisos e trabalhamos na defensiva. As ideias não acontecem, a empresa não inova e um ambiente de guerra em busca de culpados é criado.
– Autonomia: ter o mínimo de autonomia também se encaixa como uma necessidade básica, afinal, as pessoas querem fazer escolhas, ter liberdade para tomar as próprias decisões. É uma necessidade diretamente ligada ao Status.
– Relações: o status de pertencimento é fundamental para que o indivíduo se sinta integrado a um grupo social. Nós somos seres sociais e só atingimos a plenitude vivendo em sociedade. Ter pessoas ao redor que apoiam e compartilham de ideias semelhantes é fundamental para que o colaborador não se sinta isolada, solitária e triste.

– Justiça: Essa necessidade é tão poderosa que, quando um indivíduo se sente injustiçado, pode tomar atitudes extremas, com o sistema límbico totalmente no controle. Quando alguém se sente injustiçado ativa sentimentos como raiva e frustração, altamente tóxicos para o ambiente corporativo.

 

Vale lembrar que todo indivíduo tem uma escala de importância para essas necessidades. Por isso é tão importante para a liderança o autoconhecimento e também conhecimento do funcionamento humano. Para que saiba se comunicar de forma não agressiva e estimular um ambiente saudável, de colaboração e de verdade.

Reader Interactions

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.