Os Baby Boomers que iniciam seus negócios: a próxima grande geração de empreendedores6 min de leitura

nova-geracao-empreendedores

Não se deixe enganar pela carinha de neném do Mark Zuckerberg: ao contrário do que a opinião popular diz, os jovens de 20 e poucos anos não são os únicos responsáveis pelas startups bem-sucedidas atualmente. Claro, podemos estar obcecados pela juventude, mas não se esqueça que muito se desperdiça com eles. Por isso, há um número crescente de pessoas está começando seus negócios aos 50, 60 e até 70 anos de idade. Para os baby boomers com tempo livre, com liberdade financeira ou até mesmo com a insegurança financeira, o caminho empreendedor tornou-se mais atraente, mais viável e mais gratificante.

“Quando as pessoas chegam à meia idade, elas já possuem experiência, conhecimento, economias – elas têm esse desejo de criar algo, de serem bem-sucedidas antes da aposentadoria”, diz Vivek Wadhwa, acadêmico, escritor e empreendedor. “Elas se preocupam no caso de se não começarem algo novo, podem ser deixadas de lado e assim, elas decidem se aventurar”.

Em 2008, no auge do renascimento empreendedor pelos jovens, Wadhwa publicou uma pesquisa inovadora que mostrava que o número dos fundadores de empresas com mais de 50 anos era o dobro do número de fundadores com menos de 25 anos de idade, e que o número de fundadores acima dos 60 anos também era o dobro dos fundadores que tinham menos de 20 anos. A média de idade entre os homens era de 40 anos, enquanto que com as mulheres a média era de 41. Na verdade, a pesquisa revelou que a maior taxa de atividade empreendedora havia mudado para os baby boomers, no grupo de idade entre 55 e 64 anos. Essa tendência continuou até 2009, de acordo com um estudo publicado pela Kaufman Foundation no ano passado, e Wadhwa acredita que essa explosão dos baby boomers no empreendedorismo continue até 2012.

“Nós suspeitamos que a idade dos empreendedores está, de fato, aumentando”, Wadhwa diz. “Quando realizamos o estudo, ele gerou muita controvérsia, pois foi contra o estereótipo do Vale do Silício. A percepção neste caso é que só os jovens podem inovar e que qualquer garoto fora da escola pode criar um Facebook. As pessoas aqui acreditam que isso tem tudo a ver apenas com a juventude, mas descobrimos que não é o caso”.

O envelhecimento na comunidade empreendedora é um desenvolvimento bem recente. Wadhwa destaca que Ben Franklin descobriu a eletricidade aos 46 anos e inventou as lentes bifocais depois dos 70, que Sam Walton criou o Walmart com seus 40 e poucos anos e Ray Kroc criou o McDonald’s com seus 50 anos de idade. Wadhwa acha irônico o Vale do Silício dispensar os boomers, enquanto um de seus ícones, Steve Jobs, que introduziu o iMac, iTunes, iPod, iPhone e iPad com mais de 45 anos. “Quando ele era novo, ele foi expulso da Apple”, e algumas das suas grandes inovações vieram com “a idade e maturidade”, diz Wadhwa.

“Ter 50 anos é como ter 30”

Em vez de ser de domínio dos jovens, a inovação é um produto das mentes jovens, e é o que a geração baby boomer tem de sobra. “Ter 50 anos é como ter 30”, afirma Rieva Lesonsky, fundadora e CEO do GrowBiz Media e membro do quadro de diretores da HuffPost Small Business. “Os boomers não sentem ou agem de acordo com sua idade cronológica. Nós temos muitos anos ainda diante de nós e não queremos ficar parados. Ficaríamos cansados e muitos de nós, simplesmente, não teríamos mais dinheiro”.

“Parte da mentalidade baby boomer é a de pensar de forma jovem e sair da caixa sempre que possível”, diz Steve Strauss, colunista, autor do livro The Small Business Bible e também membro do quadro de diretores da HuffPost Small Business. “As pessoas estão vivendo mais e de forma mais saudável. Não é surpresa de que os boomers estão mudando a forma como vemos a aposentadoria”.

O aumento das startups pelos boomers, de acordo com Lesonsky, vem sendo movida pela recessão, que fez com que se criasse uma quantidade de “empreendedores relutantes”, ela explica. “Enquanto que uma contratação é pegar novamente, não parece que os boomers serão contratados. Por conta da experiência e idade, eles custam mais aos empregadores, tanto de uma perspectiva salarial, como de uma perspectiva de custo-benefício”.

A discriminação direta da idade em um mercado de trabalho competitivo pode estar levando aqueles que têm mais de 50 anos ao empreendedorismo. “Para vários boomers, o trabalho independente pode ser a melhor ou a única opção”, diz Strauss. “Ter um segundo ou um terceiro emprego nesse momento da vida pode não ser uma coisa fácil de se conseguir, e a economia inconstante mudou muitos planos de muitas pessoas, mesmo elas pensando que teriam milhares em conta ou que venderiam a própria casa e sacariam seu patrimônio”.

Mesmo tendo começado seus próprios negócios por necessidade, muitos boomers parecem se encaixar no empreendedorismo. De acordo com uma pesquisa feita pela MBO Partners, uma empresa que fornece serviços para o mercado de contratantes independentes, 30% do mercado de trabalhadores independentes são boomers e 10% são de pessoas ainda mais velhas. Apenas 8% dos contratantes independentes têm idade entre 50-64 anos e menos de 1% de quem tem 65 anos ou mais busca um emprego tradicional; e 86% dos boomers e 96% daqueles que tem mais de 65 anos estão satisfeitos ou muitos satisfeitos com o trabalho independente.

“A Era de Ouro”

Mesmo tendo passado 4 anos que o estudo de Wadhwa fez um buraco na bolha da juventude, os efeitos disso são como um vazamento demorado, e ele acredita que os boomers ainda não tiveram o respeito devido. “Tem sido cada vez mais difícil no Vale do Silício”, ele diz. “Esse é provavelmente o motivo pelo qual o sistema de capital de risco no vale do Silício está em declínio, pois eles estão errando o alvo. E nós precisamos de toda inovação que pudermos ter”.
Na verdade, dar o suporte a estes dados pode ser a chave para a recuperação econômica. “É ‘legal’ falar sobre os jovens empreendedores, então sim, eu acho que os empreendedores mais velhos não têm a atenção que merecem”, afirma Lesonsky. “Eu creio que a Geração Y é, por natureza, a mais empreendedora da história, mas acho que muito deste interesse foi plantado por seus pais empreendedores. Uma vez que a economia começar a alavancar de verdade, acho que os boomers que são donos de negócios ganharão mais atenção, especialmente se os negócios criados por eles estiverem crescendo e contribuindo para a recuperação econômica”.

“Esta era do empreendedorismo que está sendo abraçada pelos mais velhos e os mais novos é um território novo”, Lesonsky diz. “Ambas as faixas de idade têm a aprender e a compartilhar uma com a outra. Se fizermos isso do jeito certo, podemos entrar em uma outra ‘era de ouro’ do empreendedorismo, onde as pessoas educadas e inteligentes abraçam a propriedade dos negócios, parte por necessidade, parte pela busca dos seus sonhos e parte pelo controle de suas vidas”.

Fonte:
http://www.huffingtonpost.com/2012/01/09/boomers-who-start-businesses_n_1185394.html


Leia também

A LIDERANÇA INCLUSIVA E A CRIAÇÃO DE VALOR

Clique aqui

Reader Interactions

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *