Neurociência aplicada à vida! – Parte 4 (Final)2 min de leitura

Aprendendo a aprender… Dando um tempo

Por Alessanda Oliveira

Consultora da Fellipelli Consultoria Organizacional

descansar

[member_first_name], chegamos ao final da nossa jornada que busca elucidar um pouco mais sobre como aprendemos sob o viés da Neurociência.

Você deve se lembrar que, no meu último post, tratamos das emoções. Expliquei como elas impactam as nossas vidas e como não podemos mais deixar de falar sobre elas ou até mesmo ignorá-las achando que somos racionais o tempo todo.

Hoje, falarei sobre a importância de darmos um tempo a nós mesmos, com pausas no aprendizado e intervalos para acessar um conteúdo e outro.

Muita gente tem dúvidas sobre por que é indispensável ter esse “tempo de intervalo” em nosso dia a dia. Explico: o espaçamento deve ser feito para que o nosso cérebro assente todo o conhecimento acumulado.

NÃO É PRODUTIVO PARA O NOSSO CÉREBRO ACESSAR TODO O CONTEÚDO DE UMA VEZ SÓ. EM VEZ DISSO, É INTERESSANTE LERMOS, OUVIRMOS OU ASSISTIRMOS UM POUCO HOJE, UM POUCO DAQUI A UNS DOIS DIAS E ASSIM VAI.

Agora, a dica: aprender a nos dar um tempo entre o acesso a um conteúdo e outro é também aprender a valorizar o tempo que passamos dormindo.

dormir

Isso mesmo! O sono é muito importante para a consolidação das nossas memórias e conteúdos aprendidos. Ajuda a reativar circuitos e conexões relevantes, desconsidera os que não o são e ainda ajuda a integrar as informações novas com o que já temos.

Acredite: tudo isso o nosso cérebro faz enquanto dormimos, todos os dias! É incrível, não é mesmo?

E PARA O APRENDIZADO SER MAIS DURADOURO E AINDA MAIS EFETIVO, BASTA APLICARMOS NO DIA A DIA TUDO O QUE ASSIMILAMOS E COMPARTILHARMOS COM OUTRAS PESSOAS.

Aproveitem as dicas e até breve!


Veja também

Neurociência aplicada à vida! – Parte 3

Clique aqui

Reader Interactions

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.