Cuidado com o que você fala3 min de leitura

cuidado-com-o-que-fala

Existem muitas coisas que as pessoas falam constantemente e não param para pensar: o que realmente estão dizendo e como estão interferindo negativamente em suas próprias vidas e em tudo que está ao redor.

O ser humano é um ser linguístico, isso é, funciona de acordo com sua linguagem. Isso tem consequências em todos os resultados que obtemos nas diversas áreas de nossas vidas. Somos mais direcionados na vida pelo que falamos do que podemos imaginar e não estamos apontando somente o que dizemos da boca para fora, mas também o que falamos no íntimo de nossa cabeça sem dizer aos outros através de nosso diálogo interno.

Portanto, tome cuidado com a palavra “NÃO”; a frase que contém “não” para ser compreendida traz à mente o que está junto com ela. Exemplo: “Não pense em uma borboleta”. Essa frase traz à mente justamente uma borboleta. Pois, apaga-se a palavra “não” em nosso cérebro. O “não” existe apenas na linguagem (frase), mas não existe na experiência (representação mental). Se você pensar somente na palavra “não”… vem alguma coisa à sua mente?

Agora, se eu pedir para você não pensar na cor vermelho, o que lhe vem à cabeça? Não pense na cor vermelho e veja o que vê… Ouça o que ouve… Sinta o que sente… Pedi para não pensar na cor vermelho; o que aconteceu? Talvez você tenha pensado justamente na cor vermelho. Como pode isso acontecer?

Para entendermos precisamos responder a pergunta: O que é a palavra não? Ela é uma abstração. O “não”, por si, não diz nada, logo o cérebro se fixa no que vem depois da palavra. Assim, ”Não pense na cor vermelho”, fica representado no cérebro: “Pense na cor vermelho”.

A linguagem mais rápida, clara, focada e que obtém melhores resultados é a linguagem afirmativa ao contrário da linguagem negativa, isso é, dizer o que deve ser feito e não o que não deve ser feito, dizer o que se quer em vez de se dizer o que não se quer.

Muitas pessoas acabam focando no que não querem e conseguindo exatamente isso, pois a mente vai atrás do que focamos. Há inúmeras pessoas que afirmam que não querem ser pobres, não querem ser depressivas, não querem ser inseguras, etc. Com este tipo de afirmação, fornecem ao cérebro a imagem do que não querem ( e é isso que acabam conquistando em suas vidas).

Para que nosso cérebro possa entender e processar uma informação como “Eu não quero fracassar”, ele primeiro necessita de uma imagem do que não se quer (fracassar) para então negá-la. Seu foco fica preso ao fracasso, justamente o que não quer.

É como quando se diz a uma criança: “Não deixe cair este copo” e então ela o derruba, pois para que ela entendesse a mensagem, precisou representar internamente aquilo que não deveria fazer.

Portanto, é melhor nos dirigirmos às coisas que queremos (Por exemplo: “Eu quero ser feliz, seguro, etc.” e, no caso da criança, “Segure o copo com cuidado”).


Lembre-se sempre: o uso de uma linguagem negativa, então, provoca o comportamento que se quer evitar, os seus resultados vão ser o contrário do que se quer. Isso é altamente ineficaz na busca de resultados positivos. Aprenda a focar no positivo, no que você quer. Isso só depende de você!


Sobre o autor:

Flávio Souza é Trainer Coach da Você Vencedor Soluções Empresariais, formador de coaches da International Coaching Community (ICC – Inglaterra), conferencista Internacional, especialista em Programação Neurolinguística e referência em coaching executivo e de equipes no Brasil

Fonte: http://www.vocevencedor.com.br/artigos/pnl-neurolingu%C3%ADstica/cuidado-com-o-que-voc%C3%AA-fala-0


Leia também

PALESTRA COMPLETA COM DAVID ROCK

Clique aqui

Reader Interactions

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *