MBTI® Step II – Por que pensei ser uma complementação perfeita | Assuntos de Personalidade7 min de leitura

Por Dr Mike Moss, Universidade de Oxford

29/03/2018

Sendo um INFJ, eu normalmente sou o mais autoritário e não autocrático dos líderes. Mas há uma coisa na qual que sou muito firme – tomar partido. Eu sei que às vezes nos comportamos de uma maneira extrovertida, e outras, mais introvertida, mas aprende-se muito pouco ficando em cima do muro como um E/ INFJ. Muito melhor, em minha opinião, é colocar os sapatos do ENFJ e caminhar por um tempo, e se eles começarem a me apertar e ralar os pés, então, podemos ver se os sapatos do INFJ se encaixam melhor. Eu sei que sou um INFJ porque a resposta de estresse da função Extroversão-Sensação se encaixa perfeitamente a mim.

Mais uma confirmação vem do fato de que, apesar das minhas contribuições expressivas, ativas e entusiastas ao programa de treinamento do MBTI® Step II, no dia seguinte dormi a maior parte do tempo e, só depois de vários dias de reflexão, eu estava pronto para contar à minha esposa como havia sido o treinamento.

Então, o que aprendi com o MBTI® Step II? Primeiro eis a razão pela qual eu decidi fazê-lo.

tendo ideiaNos últimos 18 meses, como Gerente de Programa de Carreiras da Alumni, na Universidade de Oxford, eu ajudei mais de 240 clientes utilizando o MBTI® Step I, e eu diria que mais da metade deles acabou se encaixando muito bem ao tipo definido para eles – podem tomar decisões em sua vida e carreira consistente com esta importante peça de autoconsciência. No entanto, há uma minoria que busca um tipo com o qual se identifiquem mais e se sintam mais à vontade, e é para essas pessoas que eu decidi conhecer o Step II: para ajudar as pessoas a encontrarem o melhor tipo e entender como a flexibilidade das preferências é colocada em ação.

O treinamento em si foi uma experiência muito positiva. O tipo do grupo era ENFJ e a maioria eram coaches, RHs ou profissionais de L&D de um tipo ou outro, então o grupo se sentiu confortável desde o primeiro momento. Eu já até tenho em mente alguns dos meus clientes que poderiam se beneficiar ao se aprofundarem no MBTI® com o Step II.

O mais importante no Step II é que ele nos dá uma linguagem com a qual podemos discutir o nosso perfil MBTI® com muito mais detalhe. No Step II, cada uma das quatro dimensões do tipo é explorada em termos de cinco facetas: Expressivo – Contido (da dimensão E-I), por exemplo. Cada faceta pode estar alinhada com sua dimensão de tipo – uma Pontuação Dentro da Preferência (IPS) – ou significativamente oposta à sua dimensão de tipo, que é uma Pontuação Fora da Preferência (OOPS), ou pode estar na Zona Intermediária (Midzone). A Zona Intermediária indica o potencial de se flexibilizar entre respostas de preferência e fora de preferência, dependendo das circunstâncias.

Sendo consistente com a linguagem do que já foi dito, tenho quatro Pontuações Fora da Preferência e, como consequência, eu sou descrito em meu relatório como um “INFJ Expressivo, Ativo, Entusiasmado e Questionador”. Essa descrição encaixa perfeitamente a mim. Quando aparece um novo emprego, tenho o discurso que me permite decidir se abordo esse novo trabalho de acordo com minhas preferências naturais, ou se preciso colocar um pouco de energia extra para ser mais analítico ou mais flexível para obter os melhores resultados.

Assim, para aqueles que não estão familiarizados com o Step II, o que realmente significa “INFJ Expressivo, Ativo, Entusiasmado, Questionador”? Vamos começar por onde o tipo é mais claro.

estatisticasEu sou claramente um N e um J. Não tenho pontuações fora de preferência nessas duas dimensões. Na dimensão S-N, tenho quatro pontuações de preferência para Intuição: Abstrato (versus Concreto), Conceitual (versus Prático), Teórico (versus Empírico) e Original (versus Tradicional). Consequentemente, tenho a tendência a promover mudanças em vez de resistir, a pensar de maneira não convencional e resolver problemas criativamente, aplicando vários modelos a cada problema para ver qual deles ajuda.

Em apenas uma faceta: Realista–Imaginativo – Eu estou na Zona Intermediária, e posso oscilar entre os dois. Talvez possamos ver isso da minha carreira. Eu sou um cientista acadêmico, com 12 publicações em seis anos no laboratório, e um inventor, com 54 patentes em 22 anos de Pesquisa e Desenvolvimento. Eu adoro usar minha imaginação, mas no final, quero que minhas ideias sejam aplicadas eficientemente no mundo real.

Na dimensão J–P, Eu tenho três pontuações de preferências consistentes com a minha preferência de Julgamento: Planejado (versus Aberto), Antecipado (versus Movido pela Pressão) e Metódico (versus Situacional). Em duas facetas eu estou na Zona Intermediária, então eu posso flexibilizar entre ser Sistemático e Informal, e entre ser Programado e Espontâneo. Creio que isso ajude no processo criativo, no gerenciamento do estresse e na obtenção dos melhores resultados dos outros.

Descobri que controlar demais pode limitar o fortalecimento dos outros para se expressarem. Também pode nos impedir de estar abertos a ideias e tendências novas e em desenvolvimento. Do ponto de vista do gerenciamento do estresse, na Procter & Gamble, diríamos “é apenas sabão” para manter nossas dificuldades dos cuidados com o tecido em perspectiva (mesmo que US $ 100 bilhões em sabão globalmente).

Olhando para a terceira dimensão do Step II, T-F, tenho quatro pontuações na preferência e uma pontuação fora da preferência. As quatro facetas Dentro da Preferência (OOPs) consistentes com minha preferência F são: Empático (versus Lógico), Compreensivo (versus Razoável), Tolerante (versus Crítico) e Diplomático (versus Firme). Em média, os INFJs têm uma Zona Intermediária (Midzone) na faceta Questionador versus Harmonizador, então minha Pontuação Fora da Preferência (OOP) em relação a Questionador ainda está no intervalo normal para INFJs e é consistente com ser um coach e um cientista, que quer entender o que realmente está acontecendo.

Depois de 22 anos como executivo em corporações multinacionais americanas e quatro anos como coach dando mais de 20 sessões de coaching individuais e um workshop toda semana, meu comportamento pode parecer bastante Extrovertido. Então, enquanto o tipo que melhor me descreve seja o Introvertido, minhas pontuações no Step II mostram que, das cinco facetas E-I, eu tenho três Pontuações Fora da Preferência (OOPs) e duas Zona Intermediárias. As três OOPS inconsistentes com minha preferência Introvertida são: Expressivo (versus Contido), Ativo (versus Reflexivo) e Entusiástico (versus Quieto).

analiseLogo, na maior parte do meu cotidiano eu pareço um Extrovertido, embora em novas situações com pessoas desconhecidas eu possa voltar a ser Contido, Reflexivo e Quieto. Nas minhas duas facetas da Zona Intermediária, sou mais propenso a exibir minha preferência por Introversão: em ambientes familiares, posso estar Iniciador, apresentando-me a outros e Gregário, desfrutando ser parte de um grande grupo. Mas em situações diversas, eu posso estar Empático – permitindo que outros façam as apresentações – e Informal, procurando compartilhar apenas com grupos menores.

O que o Step II proporcionou foi a linguagem – a linguagem precisa ao falar de autoconsciência.

Fonte: www.opp.com

Traduzido e revisado por Fellipelli Consultoria Organizacional

Tema principal: MBTI STEP II: a complementariedade perfeita

Subtemas: Argumentação técnica consistente de um INFJ para a evolução coerente do Step I.

Objetivo: MBTI, Step II, autodesenvolvimento, autoconhecimento, coaching, team building.


Veja também

Infográfico MBTI® STEP II – O DNA dos Tipos Psicológicos

Clique aqui

Reader Interactions

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.